Tuesday, April 08, 2014

É DANDO QUE SE RECEBE....

Olá amigos.....
Eu tava aqui pensando ( eu penso muito né? Hihihihi) sobre como levamos a vida e a influência que tem a maneira como a encaramos para nosso sucesso. Sucesso em todos os aspectos, mas principalmente de satisfação interna, de realização, de "accomplishment", como dizem nossos amigos gringos.


Dentro da empresa que trabalho, existe uma iniciativa para mulheres X negócios que sempre apresenta conteúdo muito interessante que visa orientar sua carreira, ajudar as mulheres a saber o que querem, comportamentos/ metodologias de sucesso, exemplos, palestras, entrevistas, literatura, cursos, saúde, equilíbrio vidaxtrabalho, etc.. Enfim, uma iniciativa feita de mulheres para mulheres que, salvo particularidades do sexo, servem para qualquer pessoa.
E esta semana assisti a uma palestra de Adam Grant, professor mais jovem de Warthon, que escreveu o livro "Give and Take" ( Dar e Receber em minha livre tradução ) que fala sobre porque trabalhar ajudando outras pessoas é sinônimo de sucesso. O objetivo dele é mudar a ética de negócios no futuro e por isso que eu gostei. Porque ele escreve sobre aquilo em que acredito .

Eu acredito em fazer coisas porque vc se sente bem fazendo. Existe um pensamento ainda dominante de que, em uma multinacional ou grandes corporações vc precisa ser um demônio feroz de conquista implacável para se obter sucesso ou ser bem visto.
E eu nunca acreditei nisso. Tanto que quando apliquei para fazer MBA em Berkeley ( e que infelizmente não consegui ... Ainda ), esse foi um dos motivos. Eles tinham um programa muito rico de trabalho voluntário com intuito auto sustentável . Os grupos de estudantes podiam aplicar seus conhecimentos de gestão empresarial e de pessoas para desenvolver projetos sustentáveis ( modelo de negócio ) para países pobres. Empresas contratavam esses projetos e vc iria lá no pais pobre recrutar, treinar, operacionalizar e deixar a empresa funcionando gerando renda e emprego para aquelas pessoas.

Ver que um livro que faz um estudo como esse, escrito por um jovem regulando comigo ( ele está na faixa dos 40 e eu na Idade de Cristo ) teve reconhecimento, foi eleito pelo Financial Times como Livro de Ano dentre outros prèmios renova minha fé de que vale a pena respeitar nossas crenças, nossos valores, nossos princípios. Que os seres humanos e seus intelectos são as maiores riquezas das empresas ao invés de prédios, maquinario e etc..

Enfim, tudo isso para dizer que hoje foi um dia bom, um dia especial.
Estou cada vez mais convicta de que o ditado "fazer o bem sem olhar a quem" é o que nos basta, de verdade. Podemos não ter muito, mas o muito que temos pode mudar vidas.

Seguir em frente de forma justa, honesta, reconhecendo os erros e levanando dos tombos é sempre foi a melhor formula de paz de espírito!


Beijo amigos!!!

Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para curti-lo e Twitta-lo!!

Thursday, February 27, 2014

THE BEGGINING - O COMEÇO - PARTE 3 - ULTIMA

EM 2007

Chegamos em 2007, ano em que mudei para São Paulo. Me mudei para São Paulo durante o Carnaval de 2007, foi final de fevereiro, se não me engano.

Lembram que eu estava de saco cheio de trabalhar lá no CENPES? E lembram que eu namorava uma pessoa de São Paulo, né? Então, eu e esta pessoa já estavamos juntos tipo há uns 3 anos e rolou uma proposta de dividirmos o mesmo teto. Como eu já estava desmotivada no trabalho eu pedi demissão. Na cara e na coragem. Sem nada em São Paulo em vista.

Me desfiz do meu apê tão amado, que na verdade teve sua locação repassada para uma grande amiga e esposa do irmão gemeo do meu ex. Aquele cujo pai foi o fiador do apartamento. Foi o que facilitou o processo, porque, apesar de alugado, tinha sido meu primeiro apê e saber que ainda estaria todo em "familia" me trouxe um pouco de paz.

Em sentido horário:
1- Eu com todas as roupas que tinha na época. Lá atrás da para ver as estantes de palhinha que um dia foram meu armario.
2 -Eu e a Lucia, que olhava os gatinhos para mim quando eu não estava em casa e quando eu precisava de uma super força, me ajudava com a casa. Quando eu fui embora conveci a vovó e a Lucia trabalha na casa dela até hoje. :o)
3 - Me despedindo dos amigos em um dos meus lugares favoritos: Praia Vermelha - Urca
4 - Eu e a amiga linda que ficou no meu 1o apezinho.

Mas não foi uma decisão fácil. Deixei família, amigos, uma cidade que amava, emprego, independência financeira ( mesmo que sempre na pindaíba ) e fui para SP tentar a vida profissional e investir mais pesado no relacionamento.

Juro, de verdade, não vou entrar em detalhes de como foi que tudo decorreu, mas na minha humilde visão, a pessoa , no minuto em que cheguei mudou da água para o vinho. E foi de tal maneira que eu sabia que tudo tinha terminado no primeiro final de semana que cheguei. Foi horrível! Eu chorava, chorava!!!! Chorava porque estava "presa" , sem emprego ainda. Chorava por estar longe. Chorava por me sentir sozinha. Eu não suportava ficar em SP. Não suportava. Ia todo fds para o Rio de janeiro ( lá eu de novo unha e carne com o cheque especial ) e estudei igual a uma psicopatada para tirar certificações  até que consegui um emprego no falecido Unibanco e comecei lá no dia 04 de maio de 2007.

Essa é a equipe com a qual eu trabalhei pelo tempo em que fiquei lá. Tenho um carinho e um respeito enorme por todos os sofredores como eu :o). Esta foto foi no aniversário do nosso coordanador.

Trabalhei initerruptamente e, em 4 meses, ou seja em setembro de 2007 eu já tinha me mudado de novo, sozinha com gatinhos, como no Rio, para um apê alugado no Brooklin, em São Paulo. E em mais dois meses quitei todas as minhas dívidas.

Muito feliz com meu apêzinho no Brooklin. Eu pintei, eu montei os móveis, eu furei parede, coloquei lustre, tudo.Economia sempre né? Sensação de liberdade por recomeçar a vida.

Do minuto que entrei neste emprego eu trabalhei absurdamente até sair dele mais de 3 anos depois. Nos primeiros 8 meses trabalhando lá eu não fui ao Rio uma só vez porque trabalhei todos os finais de semana, todos os feriados, todos os dias umas 12h ou 16h. Foi punk!!

E aí podem imaginar a vida de treino e dieta como ficou né?

Eu até tentei...porque ainda estava na vibe do Rio, me sentia bem com as corridas e tal. Cheguei a frequentar um tempinho ( pouco ) a Cia Athletica do Shopping Morumbi, onde conheci o Ziad Morad ( vulgo Ro, meu coach ), onde conheci o Paulo Muzy e muita gente legal que tá no coração até hoje.
Até quando eu consegui eu frequentei a academia, mesmo trabalhando todas essas horas malucas.





Minha amizade com o Ro começou aí. Foi ele inclusive que me ajudou com a mudança para meu apê do Brooklin porque na época ele tinha um carro gigante. Ele não era meu coach na época porque eu não tinha dinheiro para pagar personal, imagina. Mas eu já tinha virado fã do trabalho dele pensei: "_Um dia...." .


Depois, como tinha muito trabalho, e varando madrugadas, telefone tocando a qualquer horário de qualquer dia, eu fui ficando muito cansada, desanimando. Dieta nenhuma.

E assim, fechando 2007, podem imaginar como começou 2008 , né?

EM 2008...

... meu colega de trabalho, na verdade era minha dupla, ferrado igual a mim de coisas para fazer, me levou para fazer escalada indoor e eu consegui manter a escalada por pouquinho tempo também. 

Quando eu conseguia ir era muito legal!!
Mas, logo , logo, o trabalho me engoliu. Claro, eu deixei isso acontecer.
Sabe, no ano de 2007, trabalhar desta forma foi muito importante para não pensar no quanto foi triste e no quanto tinha dado errado aminha mudança para SP, mas depois, deveria ter dado um clique em mim de que aquilo não era legal. mas não deu. 
E nada de dieta e nada de treino, porém, era assim que eu estava em dezembro de 2008.

Retida, obviamente, com kilinhos a mais, mas não estava tão bizonha analisando de hoje.
Isso só mostra que, para nos detonarmos , temos que fazer um esforço brabo, viu....

Mas, eu achei que estava péssima comparada com como eu já tinha ficado antes, comecei a ficar mega paranóica e achei que, como eu não teria condições de treinar como antes, que a solução para mim seria uma lipo / hidrolipo (  não sei direito os nomes até hoje ).

Gente, que roubada!!! Tipo, nao dava para treinar como antes, mas dava para dar um jeito de treinar em casa. Muito pior do que não treinar é não comer direitinho. Caramba!! Onde eu estava com a cabeça!?? DIETA É TUDO!

EM 2009 

Pois bem, em janeiro de 2009 eu fiz a tal da hidrolipo na barriga. 
E aí vcs pensam: 
"_Ah, então tá! Fazendo lipo na barriga é tudo mais fácil porque a gordura da barriga não volta!"

PQP!! Quanta besteira numa frase só. Eu sou CONTRA LIPO ESTÉTICA e falo com propriedade. Tudo produto da indústria para te fazer gastar dinheiro. Fazer cirurgia para resolver o seu problema de preguiça de treinar e fazer dieta não resolve nada, vc PRECISA CONTROLAR SUA MENTE.

Vcs acham que eu fiquei ótima?



Pois foi uma bosta. Pós cirurgico sozinha, com cinta e ainda comprei uma almofada com medo da cinta marcar o abdomem . Era para fazer 10 sessões de drenagem e com medo de fibrose e sei lá mais o quê, eu fiz 20. Mas o foco estava errado,  a cabeça ainda estava ruim. E eu continuei sem dieta e sem treino até o ano seguinte, 2010. E bom, tá aqui para quem quiser ver como eu fiquei em 2010 com lipo na barriga e tudo.

EM 2010


CONTROLEM SUAS MENTES!!

 GRANDES MERDAS, PERCEBEM? SEM DIETA NÃO ADIANTA NADA!!!!
E outra, se vc tira celulas de "gordura" de um lugar, quando vc engorda, elas tem que se armazenar em algum outro. E tipo, vc não some com todas as celulas de gordura de uma região. As que ficam incham igualmente. Eu passei a ter gordura em triceps que eu nunca tinha tido e eu preciso me cuidar para o resto da vida por causa disso, por exemplo. NÃO VALE À PENA!!!!!

 ..............

Daí, depois de muito, muito estresse trabalhando no Banco, que a esta altura já tinha sofrido a fusão com o Itaú eu cansei. Nada de aumento, nada de reconhecimento, só uma exploração infinita e, em alguns momentos, senti até meus valores agredidos. Foi péssimo. Fiquei 3 anos sem tirar férias. No primeiro ano assinei as férias, mas tive que trabalhar em parte dela, péssimo.

Até que, em março de 2010 recebi um email do RH, com cópia para o meu chefe de época dizendo que eu tinha que tirar férias. E cara, 3 segundos antes tinha chegado um email com o anúncio das promoções daquele ano e, apesar de eu trabalhar do jeito que eu trabalhava e ganhar 50% a menos do que o cara que fazia exatamente a mesma coisa que eu e de quem eu era o backup, meu nome não estava na lista dos "escolhidos" por aquela empresa. 
E tipo, não era um recalque . Por causa do meu trabalho e o do outro cara , nós fomos convidados até por uma multinacional  para apresentar para seus clientes como era nosso modelo de gerenciamento dos servidores dos quais cuidávamos em uma conferencia gigantesca em Orlando. Tipo, alguma coisa eu fazia de certo naquele lugar, né?

video


Enfim.... foi com muita, muita satisfação que comuniquei que tiraria férias de 30 dias. Eu não estava ligando mais a mínima se iriam me demitir ou não. Estava cansada, no meu limite, esgotada daquela vida desequilibrada. E pensei: "_Para onde eu posso ir que não haverá pessoas me enchendo o saco? Onde ninguém do trabalho sequer poderia me encontar, ligar, nada? " E veio o estalo: Vou para a África! Perfeito!

E lá fui eu para a Africa do Sul fazer trabalho voluntario em uma Reserva que reabilita Leões. Depois passei pelo Quenia e fui escalar o Kilimanjaro na Tanzânia. Aliás, o motivo da existência deste blog, inicialmente foi o medo da familia e amigos de ficarem sem notícias porque eu estava indo sozinha para um lugar deste.



E quem quiser ler e que ainda não tenha lido, minha trajetória na Africa começa aqui:

http://www.cariocanagaroa.com/2010/04/safe-and-sound-in-africa.html

Voltando da Africa, onde eu tive muitas, muitas oportunidades de pensar, refletir, me auto-analisar, me energizar, eu pedi demissão e retomei as rédeas da minha vida. 
E daí? Bom, o resto da história vocês já conhecem ;o)
Tá tudo aqui no blog.

Olha eu aí na minha retomada.

E lá fui eu, para o dia 01! ;o)
 

Obrigada meus amigos! Obrigada por me fazer recordar! Obrigada por me darem mais este gás na minha vida!

Espero que tenham gostado, espero que possam se identificar de alguma maneira e eu sempre farei o que está dentro das minhas possibilidades para que não falte a vcs as informações que por muito tempo me faltaram. Mas vcs, só vcs podem fazer o monstro adormecido despertar. A força de vontade que está em todos nós. O que nos faz guerreiros, o que nos faz vencedores só por tentar!
Ninguém, nem nós mesmos, vai nos fazer mal se a gente não deixar. Tudo é uma questão de escolha.
Eu escolhi ser feliz e cuidar de mim para sempre. NO REGRETS!


Um beijo!
Rafa ( A Legítima Carioca na Garoa )



Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para curti-lo e Twitta-lo!!

Thursday, February 13, 2014

THE BEGGINING - O COMEÇO - PARTE 2

Oi gente!!
Vamos para a segunda parte!

Na nossa máquina do tempo, paramos no ano de 2004.
Como falei, estava trabalhando no Centro de Pesquisa da Petrobras, tinha mudado com minha colega de faculdade e o irmão para um apartamento maior e corria autistamente por aí.

Quando foi que tudo desandou? Bom, o desandamento foi um processo...

Para começar, ( e não pretendo entrar em detalhes muito extensos porque não interessam para nossa narrativa ) eu tive que me mudar repentinamente para outro apartamento sozinha. Basicamente por motivo de força maior, vamos dizer assim, alheios a minha colega que dividia o apê comigo. Os fiadores do apartamento em que morávamos acharam que a minha parte do aluguel não era tão garantida assim ( nessa época eu namorava uma pessoa que morava em São Paulo ) porque eu poderia me mudar "a qualquer momento" e largar as pessoas que dividiam o apê comigo na mão e eles não iam receber. Claro que isso foi um barraco MUITO chato, foi uma facada para mim, inclusive financeiramente e posso dizer que terminei esta história dizendo para àquelas pessoas que elas não deveriam julgar o meu caráter pelo delas. Que se elas eram irresponsáveis e anti-éticas a ponto de largar um compromisso sem maiores esclarecimentos , isso não queria dizer que todas as pessoas do planeta eram assim, mas enfim, o estrago já havia sido feito. 


Aos que apunhalam pelas costas só posso dizer: FAçam melhor porque ainda estou de pé.
#ficaAdica

Os gênios, visionarios dos fiadores eram amigos de um casal que tinha uma filha que ia estudar medicina na cidade do Rio e eles queriam que ela mudasse para lá para ficar no meu quarto. E me deram 30 dias para sair!!!!!
Olha que bosta! Sem fiador, ferrada de grana, tendo que alugar um apartamento sozinha e ainda sem todos os bens necessários, ou seja, mais dinheiro ainda para gastar. No apê que dividiamos, eu tinha o sofá da casa, minha amiga tinha o fogão/forno, o outro rapaz tinha a geladeira e agora todas essas coisas eu teria que comprar. Me lembro claramente de percorrer toda a Barata Ribeiro, toda a Nossa Senhora de Copacabana, o Aterro do Flamengo, Botafogo indo de porta em porta, fora os anuncios oficiais de aluguel perguntar se aceitavam seguro fiança ou talvez procurando um locatário que aceitasse tratar diretamente comigo. Tudo no melhor estilo: "Eu podia estar roubando, eu podia estar matando, mas estou aqui querendo alugar seu apê...."  Mas nenhum deles aceitava e ainda por cima, o seguro fiança equivalia a pagar "na lata"  3 alugueis para eles te garantirem... muito triste.





Aí, andando pelas ruas do Centro do Rio, na Avenida Rio Branco, encontrei meu ex ( aquele da irmã campeã de kenjutsu que junto com a outra irmã me apresentou às corridas ). Nós, mesmo terminados, continuamos muitíssimo amigos, até porque ainda temos um filhote juntos, o beagle Mamute que hoje mora com minha mamis . :o)


Ele sempre se achou meio sapo...

 O pai dele é como um segundo pai para mim, engenheiro de Telecomunicações também e super me ajudou com meu Projeto Final ( aqui em São Paulo vcs falam TCC ) na época da faculdade. Quando meu ex soube da minha situação, ele ficou quietinho, não falou nada para mim e aí, no dia seguinte estou no traabalho e toca meu celular ( daqueles pré-pagos sem créditos. Celular Pai de Santo - só recebe....ligações...hihihihi ). Era o meu ex sogro. Ele me disse algo como:
"_ Eu soube que vc está precisando de um fiador e, bom, eu tô meio velho, preciso me sentir útil na vida e tal, que tal vc me ajudar fazendo esse favor pra mim? Me deixando ser seu fiador?"
Eu quase chorei, claro. Mas não queria causar este transtorno para ele.
Daí falei que seria incrivel, mas que não queria incomodá-lo e o lorde do meu ex-sogro respondeu:
"- Claro que não, imagina! Nunca se sabe do dia de amanhã. E se vc se mudar um dia para um lugar em que eu também venha a precisar de fiador. Tô garantindo meu futuro!"

LORDE!!!! Que salvou minha vida ! Obrigada, obrigada, obrigada, obrigada para sempre.

"As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo""
Epicuro


Fiador resolvido, me mudei para um apezinho só meu e gastei a grana que eu não tinha  #usuariaNumero1doChequeEspecial. Detalhe: eu não tinha cartão de crédito na época. Aprendi com meu pai que, ou vc tinha dinheiro para comprar ou não tinha. E que itens superfulos a gente só deveria comprar um se pudesse comprar dois, assim de fato não nos faria falta.

Foto do meu apezinho na época. Que saudades!
Todos os moveis vieram comigo para São Paulo. Só pintei a mesa e as cadeiras de branco.
Fogão também trouxe. Material de Limpeza. TUDOOOOOO!!!


Fiquei quase 1 ano para conseguir comprar uma máquina de lavar depois que me mudei. Não era prioridade, sabe? E pra variar, a disciplina de samurai tinha que funcionar porque tinha que lavar roupa que eu usei  todo dia no tanque e na mão quando chegava em casa par anão acumular. Lavar lençol era phodaaaaaaaaa...


Lava roupa todo dia, que agonia..... rsrsrsrs

Como me sentia sozinha e, como quando meu ex viajava o nosso "filho" Mamute ficava comigo, eu não queria que o Mamute ficasse sozinho quando eu não estivesse em casa. E foi assim que minha princesa Madhu apareceu na minha vida :o)
Daí pensei: "_E quando o Mamute não estiver em casa? A Madhu vai ficar sozinha. Ah não!"
E foi assim que o Noah ( um gatinho que já está no céu ) foi lá para casa. Só que o meu namorado da época queria um gatinho de olho azul ( apesar dele morar em São Paulo ). E assim o Yoshi foi morar lá em casa. E bom... minha casa virou um lar e eu nunca mais me senti sozinha :o)

Eu , meu cabelo infinito e meus gatinhos. A primeira foto de cima é classica porque consegui dos 3 juntos.
Embaixo, da esquerda para direita: MAdhu, Noah e Yoshi

 
Fui estabilizando minhas contas aos pouquinhos, mas sempre lá, né? Passando raspando....
Infelizmente, depois do sucateamento da administração da familia Garotinho, que fez com que as empresas de Telecomunicações e TI  fugissem do Estado do Rio de Janeiro para o Sul, BH e Brasilia, na área de Tecnologia de Informação só restou trabalhar na Petrobras ou em função dela ( como fornecedor ou prestador de serviço terceirizado ). Então os salários não eram, nem são muito altos porque não há concorrência. 
E meu escopo de trabalho lá, a forma como se lidava com as coisas foi me desanimando mais e mais. Eu só trabalhava para pagar contas. Nunca fui de festas, nunca fui consumista ( visto que as coisas que comprei ainda estão comigo 10 anos depois ). Eu fiquei MUITO pra baixo. E me lembro que eu não tinha vontade de fazer nada. Já não corria fazia tempo, só comia porcaria (  quando comia ) e por um longo período eu só comia, literalmente, pão de sal com manteiga da padaria da esquina de casa e sorvete de flocos, com castanha de caju e Nutella. TODO DIA. Eu acho que engordei uns 13kg nesta época. Vamos as fotos?

Eu tinha minha própria bóia de pânceps para não correr risco de me afogar aí com o Golfinho.

E vcs acham que isto estava ruim? Ah tá... Olhem em que ponto cheguei.....

Olha isso, gente! Até queixo duplo! E kd o morrocan oil no meu cabelo?? #exorcismoJá

E então, aconteceu algo que eu jamais esperaria que fosse acontecer.....

Como falei no post anterior, tenho uma única irmã, a quem chamo com muito carinho de Preta. Somos descentes de italianos ,tanto por parte de pai como por parte de mãe. E muitas pessoas da região da Itália de onde "viemos" tem uma característica genética que se chama TALASSEMIA.
TALASSEMIA é uma má formação nas hemáceas dificultando a absorção de nutrientes, toscamente explicando. Minha irmã é talassemica, eu não. Isso fez com que a vida inteira ela fosse uma magrela master e eu fosse "normal". Outra característica desta doença é que executar atividades aeróbicas é muito complicado.  Minha irmã desmaiava para andar de bike, tadinha....

Pois bem, esta mesma irmã me disse que queria muito correr uma corrida comigo. Ela disse que ela queria correr 10km e queria que eu a ajudasse com isso. Ela já vinha treinando há um tempinho, mas ela queria que eu estivesse presente na prova. 
Cara, era minha irmã. Minha única irmã!!! Como é que eu não iria fazer, me diz!? Mato e morro por essa Preta. Eu lembro que quando ela me falou isso faltavam tipo 6 semanas para a tal prova e eu não fazia nada de nada por mim ( nem treino, nem dieta ) havia dois anos. Estamos então em 2006, 2 anos depois do ínicio da segunda parte da nossa narrativa.

ANO: 2006

Comecei a treinar freneticamente, todos os dias na Orla de Copacabana. Eu queria estar com ela. Eu me lembro das minhas pernas querendo ir, das minhas pernas sabendo o que fazer, mas sem maiores forças para sustentar carregar aquele corpo. Elas estavam acostumadas a fazer aquele trabalho com um determinado peso, uma determinada ingestão calorica e de nutrientes e eu era a cara do sorvete com nutella. FOI BIZARRO! Força de vontade extraída das profundezas uterinas porque não queria desapontar minha irma.

Nas primeiras duas semanas corri 4km todo dia, foda-se como e quanto tempo levaria
Nas duas semanas do meio corri 6km todo dia, já um pouco melhor.
Nas ultimas duas semanas que antecediam a prova corri 8km todo dia, menos nos dois dias que antecederam a prova.
E pensei assim: "_Quem treina 8km, consegue correr um dia uma prova de 10km"
MALUCA!

Sem dieta!

Não aconselho NINGUÉM a fazer isso. Foi um ato desesperado para não desapontar a minha irmã.

No dia da corrida, meu aspecto físico estava melhor, mas a pançola continuava lá. É fato que abs são feitos na cozinha. FATOOOOO. 
Nome da Corrida: Bowerman da Nike - 10km - Aterro do Flamengo - Domingo

Bill Bowerman foi o carinha que fez aqueles tenis Nike com "ondinhas" inspirado em Waffles que ele estava comendo. ;o)

Cruzei a linha de chegada vários anos luz de tempo depois da largada, mas eu estava MUITO FELIZ.
Minha Preta tinha me devolvido a inspiração para cuidar de mim de novo.

Autista... quase bati na mulherzinha do lado e no cone.... #FAIL

Consultei então a segunda Nutricionista da minha vida, a linda, fofa da Robena Molinari aí no Rio. Ela é nutricionista esportiva, me ajudou um monte, temos um carinho muito presente em nossas vidas até hoje. Ela me ajudou com tudo. Foi linda, fofa, me desentupiu, me ensinou um moooonte de coisas e eu fui melhorando e a obedecendo bonitinho...
Para voltar a dieta, cortei total a Nutella que já tinha virado um vício na minha vida. Me lembro de fazer compra no mercado e passar no corredor da Nutella sem fazer contato visual com ela. Eu suava frio de abstinência, sério!! Por isso que falo....carbos viciam, são drogas!
Olha uma fotinho minha com a Robena em uma das minhas consultas depois dela ter me endireitado.
 
Nota ZERO para meu enquadramento, mesmo deixando a máquina no timer...tsc, tsc...
 E muitas e muitas outras corridas, escaladas a Pedra da Gavea e trilhas vieram em 2006 e  2007. Montamos, eu e minha irmã, nossa própria equipe de corrida: Preta & Branca

Nem tinha tatuagem nessa época. Hihihihi
Tudo perfeito certo?
Peguei o jeito, peguei o "caminho da luz" e me endireitei na vida, né?

Errado!!!
Me mudei para São Paulo e aí..... bom, só no próximo post que eu PROMETO que vou tentar não demorar tanto para postar. Mas vcs estão vendo que não é fácil né? Tenho que lembrar e organizar tudo direitinho para vcs entenderem o processo que eu disse que foi lento e que vcs iam precisar de paciência...


ESTAMOS EM 2007......

OBS: A tal menina trofeu que se mudou para o ape que eu dividia como garantia perpetua para os fiadores receberem o aluguel não ficou nem 2 meses. Sentiu saudades da mãe, sei lá e foi embora e o preju foi daqueles que nunca deixaram de receber um aluguel meu. A vida ensina....

Beijos e MUITO OBRIGADA pelo carinho!!!
Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para curti-lo e Twitta-lo!!
/* ADSENSE CODE